9 de set de 2008

Novela da vida real

Esses últimos dias estão sendo difíceis pra mim, gente, agradeço todas as pessoas pacientes que me ajudam e me estimulam, e as que me desdenham agradeço também, porque quando se agrada todo mundo é porque o problema é maior do que se pensava.

E vou agradecer em especial o Rodolfo, meu grande amigo que me rendeu um drama maravilhoso. Aê Rodolfo, arrasou!
Rodolfo é um moço inteligente e super interessante, claro que é gay, néam. Mas ele teve umas experiências ótimas antes de ter convicção de que era homossexual, foi pros Estados Unidos, morou em San Diego, na California, depois se mudou pra New York, onde conheceu Katrina, não o furacão, a mulher. Katrina era uma mulher de quase dois metros, meio forte, negrona, marrenta e tinha muito bigode. Casaram-se e aí Rodolfo percebeu que não era dessa fruta que ele tava a fim e abandonou o lar, voltou para o Brasil e começou a ir aos lugares que não conhecia, sem seus amigos bobos de infância. Conheceu um tal de Flávio, que era do nordeste, então o romance durou o que tinha que durar e Rodolfo, desolado, voltou a andar com os amigos bobos, quando conheceu umas pessoas muito legais que toparam sair com ele nas baladas chamadas MIX, que na verdade só têm mulher hetero, é tudo uma falsa impressão de que todo mundo pode pegar todo mundo. Mas enfim, as amigas de Rodolfo caíram nessa e alguns amigos também, mas os caras já sabiam que iam se dar bem com as gurias, afinal, Rodolfo só tinha amigos hetero na época.
Imagine que eles foram pra uma balada muito electro, no fim os amigos de Rodolfo desistiram, tudo bem que já eram 4 e meia da manhã e ninguém estava usando drogas de ficar acordado. Só o Rodolfo, claro, que queria afogar suas mágoas. A mágoa de ter casado com uma mulher muito parecida com um homem e, ainda assim, não a desejar, a mágoa de se apaixonar por um homem que não largou tudo pra ficar com ele, a mágoa de estar na balada gay e ainda não ter pegado ninguém.
Quando Rodolfo pensa em desistir e jogar a toalha, eis que ele vê um ser forte, másculo, barbudo e dançando totalmente rebolativo. Era sua chance. Rodolfo chegou pro cara e disse “Eu te espero há 23 anos”. O cara falou “Quem é você?”, Rodolfo rebateu “Sou tudo que você precisa.... Estarei lá fora te esperando, se você demorar mais que 10 minutos, eu vou embora”. Aí Rodolfo foi saindo, pagou a comanda e sentou na porta da balada, no lado de fora.
O cara assediado se chamava Rodrigo, é estilista e dá aula em uma faculdade de moda. Achou Rodolfo lindo e foi logo pagar a comanda também. Quando saiu, viu Rodolfo deitado no chão, dormindo. Achou uma atitude linda, o cara estava lá mesmo!
“Psiu, acorda, menino. Vamos embora” – Rodrigo.
“Anh? Quem é você?” – Rodolfo.
“Eu sou o Rodrigo, você disse que ia me esperar aqui fora pra gente ir embora junto” – Rodrigo.
“Eu disse? Sai daqui, eu nem te conheço!” – Rodolfo.
“Mas você tava aqui me esperando, me esqueceu quando dormiu?” – Rodrigo.
Aí Rodolfo mediu o cara de cima a baixou, viu que dava um caldo e falou “Eu não esquecer de você tão fácil”, salvando sua noite de sexo. E foram embora juntos pra casa do Rodrigo, mas Rodolfo estava tão bêbado que acabou dormindo e não fez sexo nenhum. Por ironia do destino, Rodrigo gostou de Rodolfo e deu a ele a noite de sono pra, no outro dia, praticarem o sexo. Mas Rodolfo foi embora, porque tinha que trabalhar. No fim a casa de Rodrigo só serviu como dormitório. Mas Rodolfo não ia perder a chance, deixou um bilhetinho com seu telefone e seu nome e escreveu “Miliga”. Rodrigo ligou e assim rolou um romance lindo que durou 4 meses.

Um comentário:

azeitona disse...

hahahahahhahahaha

eita rodolfo doido!