22 de set de 2014

Sua vida não é um filme (mas poderia ser)

Tem gente que acha que a vida é tão surreal, que poderia ser o roteiro de um filme... E há algumas situações que fazem a gente realmente pensar que deveria ter um filme baseado nisso.



Mas assim... o mundo não é só romance, também não é só desgraça. Eu mesma tive que aprender a lidar com a minha ansiedade por ter emoções na vida e, às vezes, é preciso aceitar que sua vida não tem grandes emoções. E isso não é necessariamente ruim.

O problema nisso é que situações que são relativamente simples de resolver, se tornam grandes tragédias, dramas enormes e angústias eternas. Tipo quando você acha que sua vida está muito bem, mas aí acaba o gás enquanto você fazia o bolo e tudo parece dar errado. Ou quando seu marido deveria chegar às 19h e chega às 23h.



Bom, falar de marido é sempre delicado, pois muitas vezes rola aquela "tragédia" que é levar um chifre. Mas olha, geralmente, ele não está fazendo nada de ruim. É sério! Eu sei que não conheço seu marido, mas tenho certeza que a vida dele também não é cheia de coisas intrigantes e misteriosas.

Minha mãe sempre tende a achar que eu morri quando eu demoro para responder. Atualmente ela pega um pouco mais leve, mas quando eu era mais jovem era isso. Ela já teve que me pegar no hospital, daí que o trauma ficou, talvez.


O ponto é: a vida sempre pode ser um filme, mas a gente não pode pensar que qualquer coisa que saia do controle é motivo para se desesperar. Na real, para se controlar é preciso ter consciência de que não podemos controlar nada, apenas a forma como lidamos com os acontecimentos.

A vida vai seguir, se não a sua, a de todos os outros.


A menos que você não tenha os braços e toque piano e guitarra com os pés, ou que você seja a Beyoncé, você não é especial. Viva!


Nenhum comentário: