21 de mai de 2013

Prioridades na vida

Eu estou escrevendo um artigo sobre o cenário tecnológico de Berlim. A cidade está pulsando, cheia de inventores de aplicativos, investidores e start ups do mundo todo. Está difícil encontrar alemão em Berlim, mas americanos tem para todos os lados.

Da mesma forma que a cidade parece estar cheia de oportunidades, uma verdadeira filial do capitalismo (deve ter alemão querendo morrer), as desigualdades aparecem. Eu estou tendo muita dificuldade em arranjar um emprego por ainda não falar alemão. E, olhe, estou procurando em lugares "estrangeiros". Quando não é o idioma, o problema é eu não ser europeia.



Esse tipo de coisa desanima, mas é preciso ter prioridades na vida. Eu não vim aqui para construir meu futuro, vim para aprender e fortalecer mais minhas experiências, em diversos aspectos. Posso dizer que essa parte tem ido muito bem, uma pena as outras estarem engatinhando.

Sinto que Berlim ainda está resistindo em se tornar cosmopolita, pois muitas coisas ainda me parecem bem provincianas (como a quantidade de pessoas ofendidas pelo meu post anterior e, pior, pelo meu post no Buzzfeed), o fato de muitas pessoas serem contra a construção de novos prédios, a liberdade que eles têm tanto medo de perder, a falta de calor humano nas relações... Tudo que é novo dá medo e há uma atmosfera de temor por aqui.

É claro que com o tempo as coisas vão se assentar, espero que eu possa fazer parte disso. Por enquanto vejo muitos jovens perdidões, com muito poder e pouca experiência, comandando gente que eles não acreditam em negócios que eles não entendem como funcionam. Se a prioridade é vencer, a tentativa é um benefício.

Nenhum comentário: