18 de mai de 2013

Como aprendi a economizar dinheiro no dia-a-dia


Viver em outro país significa gastar em outra moeda. A menos que você esteja na Argentina, Bolívia ou algum outro país no qual o Real vale mais, a vida pode ser muito boa. No meu caso, em Berlim, é uma bosta. O Euro vale quase 3 vezes mais que o Real e isso realmente faz você repensar seus hábitos.

Muita gente vive a máxima "quem converte não se diverte", mas quando você mora no lugar, você tem que pensar no que vai comer amanhã, como vai pagar o curso, o dinheiro pro transporte público... por aí vai. Berlim é a capital mais barata da Europa, mas, ainda assim, os meus Reais aqui não valem muita coisa.

Quero compartilhar com vocês meu pequeno manual de sobrevivência econômica, pois ele é universal e pode ajudar pessoas que queiram salvar grana por um tempo, independente se vivem no Brasil, Argentina, Alemanha, etc.


Vou colocar em forma de lista, pois fica mais fácil e didático:

1. Pense sempre à frente. Você pode acreditar em milagres, mas não conte com eles para sobreviver.

2. Compre no mercado mais barato. Não adianta querer qualidade quando você está falido. A questão é apenas comer.

3. Cozinhe! Pois cozinhar ainda é a maneira mais barata de fazer uma refeição decente.

4. Compre as bebidas no mercado, pois saem mais baratas. Deixe-as no congelador e, quando for sair pro bar com a rapaziada, é só deixar descongelando na bolsa (ou mochila). O drink não vai estar "delícia", mas ainda é alcoolico e sairá por até 1/3 do preço que você pagaria no bar.

5. Ande muito a pé. Se a grana do busão acabou, use a sola do sapato e aproveite para entrar em forma. Se você tem uma bike, aproveite-se dela até onde puder. Se não tem uma bike e não tem ninguém que lhe empreste (como eu), a melhor solução é andar. Você pode descobrir atalhos e lugares legais nessa jornada.


6. Recolha latinhas e garrafas. Material reciclável vale dinheiro. Talvez não muito no Brasil, mas aqui vale alguma coisa. De qualquer forma, garrafas e latas valem dinheiro, ande com uma sacola extra na mochila e recolha o que você puder, depois troque no local adequado (afinal, você não quer virar um acumulador, você só precisa de dinheiro).

7. Não se deixe levar pela tentação. Quando você está falido, tudo de mais legal pode rolar: shows, baladas, peça de teatro... Mas saiba que a cultura é cíclica e, a menos que você queira ver o último show do Rolling Stones na vida, você vai conseguir ver esse show, peça, balada de novo. É só ter paciência. E se não rolar de novo, FODA-SE. Você sobrevive.

8. Visite seus amigos. Nada melhor que socializar e gastar pouco. Mais válido que meter geral num boteco, é receber ou ser recebido em casa.

Por enquanto é isso. Mas em breve compartilharei mais dicas desse manual de sobrevivência. Keep calm and carry on, diriam os soldados da rainha. Eu digo: não se desespere! Economize e tudo vai dar certo :)

Um comentário:

Sandino disse...

Fia, e eu achava q vc tava rica. Q pobreza.