29 de jun de 2013

Dicas para manter a sua liberdade de dizer não

Morando na gringa pude perceber o quanto nós brasileiros temos problemas com o "não". O sim é tão mais fácil, mas nem por isso é agradável. Por exemplo, quando você odeia música eletrônica e lhe chamam para uma rave. Com poucos amigos, sem muita opção e a contragosto, muitas pessoas acabam caindo nessas ciladas da vida. Mas dizer não, não é tão ruim. Saiba por que:



  • Com as pedras que lhe atiram, você não constrói um castelo, você faz uma trincheira. Se você não quer ir a rave, você não vai e ponto. Com certeza nada é pior que fazer alguma coisa que não quer. Ficar em casa ou tentar um rolê sozinho nunca é em vão.
  • Sua inveja não é o combustível do sucesso alheio, mas é o combustível da sua frustração. Pare de dizer sim para parecer mais cool ou mais bem quisto. Esse tipo de status cai por terra muito rápido, pois ser legal 100% do tempo é considerado um problema. Dizer não e ser chato às vezes faz parte.
  • Elogios não lhe iludem mas as críticas sempre lhe abalam. Não é porque todos seus amigos são fãs de É o Tchan que você tem que sempre passar por debaixo da cordinha. Se você se incomodar com a opinião deles, sempre é possível conhecer gente nova, ir a um grupo de discussão, intercâmbio de idiomas, curso, grupo do AA, igreja, centro espírita, enfim, sempre há uma forma de conhecer gente nova - se você estiver a fim.
Salve-se do clichê, viva a liberdade de dizer "não"!


24 de jun de 2013

39 impressões minhas sobre a Escandinávia

  1. O estado de bem-estar social funciona (aparentemente)
  2. As coisas são caras (mas as pessoas lá podem viver decentemente)
  3. O transporte público é limpo
  4. Na Noruega eu achei as pessoas mais bonitas, mas na Dinamarca elas parecem mais felizes e solícitas
  5. A Suécia está cheia de hipsters tatuados e cheios de estilo
  6. Eles preferem cachorros pequenos
  7. A arquitetura é rica e muda de país para país, mas achei Oslo bem mais ousado em questão de estilo
  8. Um dinamarquês bêbado passou a mão na minha bunda
  9. Pediu desculpas, falou que foi sem querer
  10. Outro dinamarquês bêbado me pediu cigarros e falou para eu sair da cadeira ao lado dele, pois um amigo dele queria sentar
  11. Christiania é daora, mas achei meio nada a ver não poder tirar foto
  12. Gotemburgo é linda, mas gostei mais das ilhas que da cidade
  13. Todo mundo fala inglês, de fato
  14. Sueco soa como alemão falado com sotaque italiano
  15. Norueguês parece que estão falando inglês ao contrário
  16. Dinamarquês é o idioma oficial do inferno
  17. Copenhague está cheia de brasileiros
  18. As torres de Copenhague são lindas e infinitas
  19. A pequena sereia de Copenhague é bem pequena mesmo
  20. Escandinavos adoram estátuas, todas as cidades têm muitas
  21. Oslo tem muitos muçulmanos (comparada às outras cidades que estive)
  22. Copenhague tem muitos bares
  23. Os palácios são muito lindos
  24. Não têm catracas e raramente têm controladores nos transportes públicos
  25. A polícia é muito simpática (com turistas, pelo menos)
  26. Tem wifi no ônibus de viagem
  27. Tem tomada também
  28. E tudo grátis
  29. Você pode beber água da torneira e ela não tem gosto
  30. Eles não ligam que os meninos usem rosa e as meninas brinquem com carrinhos
  31. Eles adoram os músicos locais
  32. Eles também adoram tomar sol no parque ou ir fazer churrasco na praia
  33. Noruegueses são magros e esportistas, adoram andar de bicicleta na montanha
  34. Eles adoram acampar
  35. Eles adoram aprender idiomas novos
  36. Eles tem sol o dia todo, literalmente, uma pena que só no verão
  37. A maioria é loiro ou ruivo
  38. Adoram fazer demonstrações de afeto em público, especialmente quando estão bêbados e simulam sexo gay
  39. Eles não ligam se você vai achar que eles são gays ou lésbicas por causa da roupa ou da atitude
Foram quase 8 dias de muito aprendizado, diversão e imersão na cultura deles! Adorei a experiência.

15 de jun de 2013

Nem tudo se resolve com programas sociais

Com as manifestações e as redes sociais bombando, tem gente finalmente saindo do muro e tomando partido para discutir política, criticar o governo e entender que a questão vai muito além da richa "PT X PSDB".

Claro que muitas pessoas ainda acreditam que algum partido vai se aproveitar das manifestações para crescer, mas quem tem o mínimo de QI sabe que não é bem assim. Agora o brasileiro vai pensar muito bem antes de votar. Na última eleição, muitas cidades tiveram mais da metade dos votos anulados, dando uma puta dor de cabeça para o TSE.

Seja como for, para aqueles que ainda acham que o povo é burro, chegou a hora de olhar com um pouco menos de desdém e entender a unidade que O POVO brasileiro é. Se você odeia se igualar aos outros, meu querido, então pegue suas coisas e saia. Conheço muita gente que se acha superior, que acha quem tem pouca grana uma raça bizarra. Aí eles descobrem que eu estudei SEMPRE em escola pública, que fui bolsista graças ao PROUNI, que fiz minha pós graduação graças a  cota para pobres e que morava em um apartamento similiar a COHAB, moradia popular, livre de IPTU.

Estou no mercado de trabalho no mesmo patamar que eles, morando em Berlim com o dinheiro do meu próprio suor, sem patrocínio de família, discutindo política com tanta ou mais argumentação que eles, sabendo meus direitos e não sendo fanática de partido algum.

Antes de falar dos "mortos de fome", dos "metidos a comunista", do "povão escroto", olhe para o espelho. Dinheiro não traz sabedoria, então não se coloque em posição de julgar. Se você se acha superior, você deveria estudar um pouco mais e saber que esse sentimento de superioridade não tem fundamento antropológico algum. Um cara mobilizou uma nação com o discurso de raça superior. Mais de 6 milhões de pessoas morreram e até hoje uma mácula assombra a vida de cada um no país. Sim, Adolf Hitler traumatizou gerações de alemães, que até hoje lutam para recuperar a dignidade. Superioridade? Só se for em quantidade de recalque.


5 de jun de 2013

Tudo pode dar errado

Eu não vou começar esse post dizendo que ele não é uma lamúria de minha parte, pois estaria mentindo. Mas não é uma reclamação gratuita ou problemas da classe média. O assunto é um pouco mais profundo, então se você queria fofocas e piadinhas, melhor passar outro dia.

Quando você sente que tem algum problema e que não pode resolver, que esse problema é gigante, ninguém pode lhe ajudar, ninguém lhe entende, e nem você mesmo consegue identificar qual é o problema exatamente: isso se chama depressão.

Não é aquela depressão apática, a profunda e mais difícil de tratar, é uma depressão leve, inicial, um primeiro estágio que pode lhe atirar no poço sem fundo da apatia, ou pode lhe mostrar um pouco do significado da sua vida, se você conseguir superar essa fase.

Eu não sou psicóloga, mas eu sofro desse problema. Já me entreguei algumas vezes a depressão, fiz terapia, parei, voltei, tomei remédio. Eu sinto que o problema insolúvel sempre será uma sombra em minha vida, cabe a mim olhar para o outro lado (ou andar em direção à escuridão).

Eu sempre acabo oversharing minha vida quando estou nesses momentos sombrios, por isso quando estou bem faço questão de compartilhar frases positivas. Alguns amigos acham que são mensagens cristãs gratuitas, uma perda de tempo, assim como a fé. Eu acho importante dividir algo de positivo, mesmo que isso me faça uma piada. Quando eu falo que estou na merda, algumas pessoas também acham engraçado, então vamos manter a linha cômica e rir na alegria e na tristeza.

Quando se pensa que tudo pode dar errado, tudo pode mesmo dar errado. E mesmo que dê certo, perderá o mérito, pois a mente está num estágio de negação. Não tem como algo bom acontecer se você está enxergando tudo de forma distorcida. O caminho da saída é muito difícil de achar, enfrentar esse gigante também não parece fácil. A questão é conseguir achar o lado bom, mesmo que difícil, mesmo que vexatório, mesmo que só você entenda o que você quer dizer.

E já que ninguém pode ajudar, ninguém pode atrapalhar. Dane-se o que podem dizer, seja você mesmo, afinal, é a única coisa que você tem para sempre. Se apelar para a fé ajuda, apele. Se cantar ajuda, cante. Se sair na rua pegando latinha ajuda, pegue. Não deixe a sombra lhe engolir. Não deixe.